fbpx
Corrupção » Investigações Especiais » São Paulo » Sorocaba
MP entra com ação de improbidade administrativa contra prefeito, secretário e servidor de Sorocaba

O Ministério Público estadual deu entrada na justiça em uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito

19/07/2019 02h11

Foto: Emídio Marques -Jornal Cruzeiro do Sul

O Ministério Público estadual deu entrada na justiça em uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito de Sorocaba , José Crespo (DEM), o secretário afastado Hudson Zuliani e o servidor Edmilson Chelles, investigados na Operação Casa de Papel.
A promotoria, durante apurações descobriu que Hudson Zuliani e Edmilson Chelles continuavam recebendo os salários da prefeitura, motivando a ação.
O promotor responsável pelo caso, Orlando Bastos Filho pede que o pagamento dos dois seja suspenso imediatamente. Além disso, solicita o bloqueio de bens de Zuliani, Chelles e Crespo.

O Ministério Público afirma que o afastamento de Hudson Zuliani e Edmilson Chelles o foi feito de forma irregular.
Segundo o promotor o afastamento foi uma “ação entre amigos”, feita pelo prefeito José Crespo, porquê o governo estava envolvido com a hipótese de corrupção sistêmica e, por isso, preferiu “blindar” as principais testemunhas – Os dois teriam recebido quase R$ 50 mil nestes três meses. A promotoria pede o pagamento de R$ 364.700.

O ex-secretário de Cultura e Lazer, Werinton Kermes, e o ex-secretário de Comunicação e Eventos, Eloy de Oliveira, outros dois envolvidos nas denúncias de corrupção em contratos e licitações, pediram exoneração logo depois do escândalo. Todos os envolvidos negam as irregularidades.

Operação Casa de Papel

A Polícia Civil e o Ministério Público deflagraram a Operação Casa de Papel no dia 8 de abril com o objetivo de investigar desvio de dinheiro, fraudes em licitações e corrupção de agentes públicos na Prefeitura de Sorocaba. Foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão.

Segundo a equipe que investiga o caso, o grupo criminoso é formado por secretários municipais, servidores públicos e empresários. Os crimes cometidos vão desde contratos superfaturados até serviços contratados e não prestados.
Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas casas dos secretários municipais e de um empresário, na sede de uma empresa, na casa do irmão de um empresário, no Paço Municipal e na Secretaria de Cultura.

Fonte: G1
https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2019/07/18/mp-entra-com-acao-de-improbidade-administrativa-contra-prefeito-secretario-e-servidor-de-sorocaba.ghtml

Engenheiro Eletricista de Telecomunicações, MBA em Governança de TI. Trabalha a mais de 30 anos na área de Tecnologia da Informação(tanto no setor privado como público) Coordenador do MBL Sorocaba