fbpx
São Paulo
MBL Sorocaba pede que Câmara investigue prefeito

O Mbl entrou com pedido de afastamento após denúncias e operação do GAECO

09/05/2019 18h30

Em 22 de abril, após graves denúncias noticiadas pela imprensa a respeito do prefeito, o MBL Sorocaba protocolou na Câmara Municipal um pedido de cassação do prefeito.

Tais denúncias apresentadas pelo MBL Sorocaba foram baseadas na CPI do Falso Voluntariado e na operação Casa de Papel deflagrada pela Polícia Civil (GAECO) e pelo Ministério Público.

A CPI do Falso Voluntariado investiga denúncias de que voluntários da prefeitura estariam ocupando cargos e sendo remunerados. É o caso de uma das assessoras do prefeito Crespo que, mesmo exonerada do cargo, ainda estaria recebendo um salário mensal, desta vez através de uma agência de publicidade contratada pela prefeitura.

Além do prefeito, a vice-prefeita também estaria utilizando mão de obra de forma irregular.Segundo a denúncia, ela teria “contratado” um funcionário público para fins pessoais, o que é considerado crime de desvio de função na administração pública.

Já a operação Casa de Papel da Polícia Civil e do Ministério Público investiga esquemas de desvio de dinheiro público em secretarias da prefeitura, o que causou o afastamento e a exoneração de três secretários municipais subordinados ao prefeito.

No dia 25 de abril de 2019, os vereadores colocaram em votação o pedido do MBL Sorocaba com diversas provas para a abertura de comissão parlamentar processante, porém, o pedido foi arquivado.

Em nota, o MBL lamentou o arquivamento de seu pedido e explicou que a Câmara não considerou o aditamento do processo com as provas.

Na mesma sessão, outros dois pedidos feitos por munícipes foram aceitos e duas comissões processantes foram instituídas: uma contra o prefeito e outra contra a vice-prefeita.

Ambas as comissões processantes que foram criadas têm como base a CPI do Falso Voluntário e a Operação Casa de Papel.

Caso sejam comprovadas as graves denúncias, os mandatos do prefeito e da vice-prefeita poderão ser cassados.

O MBL Sorocaba segue acompanhando na Câmara Municipal o andamento das mencionadas comissões processantes.

Legenda da Foto: Coordenadores Paulo Braga e Ítalo Moreira, do MBL Sorocaba, protocolam na Câmara Municipal pedido de investigação do prefeito

Autor da matéria: Luís Renato Cruz Vieira Andrade

Coordenador estadual do MBL no Rio de Janeiro, Estudante de Gestão Pública e defensor da Vida, liberdade e propriedade.