fbpx
Rio de Janeiro
“O socialismo é uma farsa e o comunismo uma monstruosidade” diz Roberto Motta

No momento em que todos estamos chocados com a crueldade de Maduro, Motta faz duras críticas bolivarismo do ditador venezuelano

24/02/2019 02h24

Roberto Motta é ex-executivo do Banco Mundial nos EUA, Engenheiro Civil, Secretário de Iniciativas Estratégicas, além de um renomado ativista do setor de Segurança Pública no país. Sobretudo, Motta é um liberal convicto.

Em um momento de terríveis relatos vindos da Venezuela sobre as barbáries de Nicolás Maduro, Roberto Motta fez duras críticas a esquerda, especificamente ao “socialismo” e ao “comunismo”.

Alguns partidos políticos, que inclusive manisfestaram apoio ao ditador Maduro, também foram duramente criticados por Roberto Motta.

Confira os relatos do atual componente do secretariado do governo no estado do Rio de Janeiro:

“Sou, antes de tudo, anti-esquerda. O “socialismo” é uma farsa e o comunismo uma monstruosidade. Não quero nada com que defende, pratica ou promove essas ideias obscenas. Não tenho tempo a perder com quem defende opressão, pobreza e obscurantismo em nome de uma “justiça social” que só existe nas mansões luxuosas dos ditadores “socialistas”. Tenho repulsa a que defende os criminosos mais depravados em nome da ideologia. Enfrento diariamente aqueles que usam as instituições do Estado para promover doutrinação ideológica e proteger bandidos em nome do combate à “desigualdade”. Enfrento a esquerda. Enfrento as farsas e a mentira. Às vezes ganho, muitas vezes perco. Mas não desisto. Todos os dias estou no combate. Não tem conversa. Não tem acordo. Não tem composição. Não tem associação de espécie alguma com PSOL, PCdoB, PT, PDT e seus puxadinhos. Essa é a minha posição. Estou do lado da justiça e da verdade. Estou do lado da história. Estou do lado do liberalismo, da direita e da liberdade.Pior que o barulho dos bandidos é o silêncio dos homens de bem. Eu não fico em silêncio.Tudo começa com as ideias corretas.”

Coordenador estadual do MBL no Rio de Janeiro, Estudante de Gestão Pública e defensor da Vida, liberdade e propriedade.