fbpx
Rio de Janeiro
MBL vai às ruas de Rio das Ostras em um ato contra a ENEL

O movimento lembra que faz parte das relações institucionais razoáveis que os contratos sejam cumpridos. É uma responsabilidade clara de qualquer concessionária

24/02/2019 14h43

Nos quatro cantos da cidade de Rio das Ostras era possível ouvir apenas as vozes dos cidadãos que, cansados de serem ultrajados, compartilhavam em suas redes sociais mensagens de revolta pelas altas cobranças praticadas pela empresa de fornecimento de Energia Enel. Como se não bastassem as recorrentes elevações das faturas mensais da empresa, a concessionária ainda tem emitido faturas avulsas com valores que ultrapassam a casa dos R$1.000,00 reais sob o argumento de que os medidores das residencias dos consumidores estivessem com pane no sistema de aferição de consumo.
Esses ingredientes foram mais do que suficientes para que o Movimento Brasil Livre de Rio das Ostras se colocasse como uma voz dos munícipes e fossem às ruas da cidade com a coragem de quem tem em sua consciência a importância das manifestações como expressão da opinião do cidadão brasileiro.
O dia marcado para o ato, intitulado de “BASTA ENEL”, foi neste sábado (23/02/2019), o local foi em frente a agência física da Enel em Rio das Ostras e envolveu mais de 350 pessoas, reivindicando que suas vozes fossem ouvidas pela concessionária, porém a com a informação do ato circulando por toda a cidade, a agência permaneceu fechada e seus funcionários ficaram no interior do estabelecimento até que o movimento se encerrasse.
Por lá, estiveram presentes clientes da concessionária, como por exemplo a Elaine Rosa que aproveitou o ato para dizer “NÃO É POSSÍVEL QUE ESSA EMPRESA CONTINUE NOS LESANDO COMO TEM FEITO A ANOS! TEMOS SIDO PREJUDICADOS COM RECORRENTES APAGÕES, O ATENDIMENTO NA LOJA DA ENEL É HORRÍVEL, OS VALORES DAS CONTAS SÃO ABSURDOS E AGORA AINDA EXISTE ESSA COBRANÇA AVULSA DE R$1.080,00. CHEGA! NÃO AGUENTAMOS MAIS ESSA SITUAÇÃO. AINDA BEM QUE TEMOS MOVIMENTOS COMO O MBL QUE SE DISPÕES A INTERCEDEREM PELA POPULAÇÃO EM GERAL.”
Uma outra senhora que não se identificou à reportagem, disse “EU ME SINTO REALMENTE INCAPAZ E INJUSTIÇADA, POIS FAÇO TUDO PARA ECONOMIZAR E AS CONTAS TODO MÊS SÓ VEM AUMENTANDO, ANTIGAMENTE MINHA CONTA OSCILAVA DE R$180,00 A R$230,00 E NO MÊS PASSADO VEIO PARA R$580,00, OU SEJA, É UM CUSTO MUITO GRANDE, ONDE TODO MUNDO FAZ DE TUDO PARA ECONOMIZAR E A CONTA SÓ VEM AUMENTANDO. A GENTE ENTRA COM O RECURSO E ELES SÓ DIZEM QUE É ISSO MESMO. EU ME SINTO DE PÉS E MÃOS ATADAS.”
Os coordenadores do MBL Rio das Ostras, Vini Dotte e Matheus Sanchez, estiveram conversando com centenas de cidadãos, que revoltados, pediam ajuda para o Movimento Brasil Livre.
Após ouvir uma idosa chamada Sebastiana, moradora do bairro Nova Cidade, informar que vivia junto com seu neto com uma pensão de R$998,00 e estava desesperada, pois não via como pagar a última conta no valor de R$614,55, o coordenador Vini Dotte, desabafou dizendo: “NÃO PODEMOS ACEITAR QUE EM UM PAÍS QUE TEM A MEDIA SALARIAL DE R$1950,00 E ONDE 47% DA POPULAÇÃO VIVA COM MENOS DE UM SALÁRIO MÍNIMO CONTINUE SENDO USURPADA ROTINEIRAMENTE POR EMPRESAS COMO A ENEL, QUE MESMO SENDO UMA CONCESSÃO, NÃO VEM CUMPRIDO COM A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO ADEQUADAMENTE E AINDA EXPÕE OS CONSUMIDORES AO PAGAMENTO DE FATURAS COM VALORES ABSURDOS. ISSO FICA AINDA MAS DESUMANO QUANDO VEMOS O SILÊNCIO DAS AUTORIDADES SEMPRE QUE NOS ORGANIZAMOS EM PROTESTO CONTRA TUDO ISSO. PARA PIORAR, AINDA VEM O ANTIGO PREFEITO CARLOS AUGUSTO E ENCAMINHA PARA A CÂMARA O PEDIDO DE MAJORAÇÃO DA TAXA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM 400%, E OS VEREADORES QUE DEVERIAM SER A VOZ DO POVO NO MUNICÍPIO, APROVAM ESSE ABSURDO CONTRA A POPULAÇÃO, ISSO É UM CRIME”.
O ato teve a participação de mais de 350 pessoas e mais de 2000 cidadãos participaram do abaixo assinado, onde o Movimento Brasil Livre esta organizando peticionar uma investigação do Ministério Público junto a Enel a fim de buscar uma solução para os cidadãos de Rio das Ostras. Foi também realizada coleta de assinaturas para apresentar ao prefeito a exigência de redução da taxa de iluminação pública municipal.

Coordenador estadual do MBL no Rio de Janeiro, Estudante de Gestão Pública e defensor da Vida, liberdade e propriedade.