fbpx
Rio de Janeiro
Está aberta a temporada de caça aos prefeitos, na Região dos Lagos. Caem prefeitos de Iguaba e Búzios

Prefeito de Búzios é afastado por improbidade administrativa e prefeita de Iguaba Grande por envolvimento em organização criminosa, corrupção e fraude em licitação

19/03/2019 19h17

Esta terça-feira (19) foi agitada para os executivos da Região dos Lagos. Dois prefeitos perderam o mandato em um só dia. Um dos prefeitos afastados, foi André Granado do PMDB, em Búzios. A decisão em primeira instância de afastamento foi por improbidade administrativa em concurso público, realizado em 2012. O afastamento foi determinado ainda na segunda-feira (18), pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). Esta seria a quinta vez que André é afastado da cadeira de prefeito da cidade.

Segundo a justiça, o prefeito contratou funcionários temporários para cargos, para os quais deveria convocar aprovados em concurso público, estando no prazo determinado em edital. Sendo por isso, condenado pelo ato de improbidade administrativa. De acordo com o Tribunal, a defesa de André entregou o recurso com dias de atraso, por isso o recurso não foi aceito por perda do prazo. A Justiça determinou a suspensão dos direitos políticos de Granado por cinco anos, multa de 50 salários e a perda do cargo. A prefeitura de Armação de Búzios informou ao G1 que ainda não foi notificada, e que André Granado segue em pleno exercício do cargo.

Já em Iguaba Grande, a prefeita Ana Grasiella Moreira Figueiredo Magalhães foi afastada por envolvimento em organização criminosa, corrupção e fraude em licitação. Agentes da polícia federal cumpriram na manhã desta terça-feira (19), mandados de busca e apreensão na ‘Operação Apagão’, na casa de prefeita e de outros cinco denunciados por fazer parte do esquema criminoso. Na casa da prefeita foi encontrada ainda uma arma ilegal, com numeração raspada e o marido de Graziela foi preso, em fragrante, por posse ilegal de arma.

De acordo com denúncia do MP, a prefeita e os demais acusados mantinham um esquema de pagamento de propina, em troca de vantagens ilicitas por meio de pagamentos, para que uma empresa de iluminação pública vencesse licitação.

Em nota, a Prefeitura de Iguaba Grande confirmou que o afastamento da prefeita deu-se “por conta de uma diligência que chegou à casa da mesma na manhã de hoje. A Polícia levou o celular e notebook da Prefeita, e também do responsável pelo Serviço de Iluminação Pública, Adilson dos Santos, e do Ex-Secretário de Obras, Luiz Jeronymo”. A assessoria diz ainda que Grasiella confia na Justiça e que as coisas serão resolvidas. E declara ainda que o vice-prefeito Leandro Coutinho, que assume o cargo, acredita na idoneidade do governo e que tudo será esclarecido.

*Contém informção do G1