fbpx
Paraná » Politica Regional
Prefeitura de Curitiba propõe reforma administrativa

A mudança conta com fim de algumas pastas e fusões de outras

27/03/2019 11h18

Assim como o governo do estado do Paraná, a prefeitura de Curitiba decidiu apresentar um projeto de reforma administrativa à câmara de vereadores. A proposta visa modificar a estrutura do Executivo municipal, extinguindo algumas pastas, fundindo outras, e trocando algumas nomenclaturas.

A reestruturação sugerida, entretanto, é pouco motivadora; uma vez que o programa extingue apenas dua pastas (das 18 existentes), além de algumas propostas apenas serem uma formalização do que já ocorre na prática atualmente.

As pastas a serem anuladas são Assuntos Metropolitanos, que será incorporada ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc); e Trabalho e Emprego, cujas atribuições serão absorvidas pela Fundação de Ação Social (FAS). Essa última já estava sem titular na gestão do prefeito Rafael Greca. Já as secretarias de Recursos Humanos, Informação e Tecnologia e Planejamento e Administração serão unidas, formando a pasta de Administração e de Gestão de Pessoal.

Outra fusão prevista é a da Secretaria de Defesa Social com a de Trânsito, porém na prática essas duas pastas já funcionam de maneira integrada. Ademais, as secretarias de Saúde e Educação passam a ter autonomia na execução de obras e serviços de engenharia, “para otimizar recursos e garantir mais agilidade nos processos”. Por último, a Secretaria de Abastecimento passará a se chamar Secretaria de Segurança Alimentar e Nutricional. Com a mudança, o número de pastas passa de 18 para 13.

A prefeitura garante que os ajustes foram concebidos para “garantir um funcionamento mais eficiente da máquina pública, com redução de despesas e aprimoramento dos serviços oferecidos à população”.

O número de cargos comissionados que serão cortados, contudo, é frustrante. Prevê-se a extinção de 21 cargos, mas a criação de outros 16 novos; o que significa o corte de apenas 5 postos.



Entusiasta política e acadêmica de Engenharia Química (UFPR) nas horas vagas; liberal na economia e nos costumes. Diretamente da República de Curitiba.