fbpx
Congresso Nacional » Esquerda » Reforma da Previdência
Tabata Amaral critica o PDT e diz que “quando se é fiel ao que acredita, há perseguição política”

“A boa política não pode ser dogmática”, disse ela

14/07/2019 18h17

Após sofrer várias críticas outros membros da esquerda e até do seu próprio partido por ter votado favoravelmente à reforma da Previdência, aprovada em primeiro turno na câmara na última semana, a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), no jornal Folha de S.Paulo, reforçou sua posição de ter ido contra a orientação do seu partido e afirmou estar sofrendo perseguição política. Além dela, 7 membros do PDT também tiveram a mesma postura na pauta da previdência.

“Não estamos falando de dois ou três parlamentares, mas de praticamente um terço das bancadas de duas relevantes siglas que ocupam posição mais ao centro no espectro da esquerda. A expressividade dessa dissidência acendeu ao menos a luz amarela nas estruturas?”; “a boa política não pode ser dogmática”, disse ela.

Por último, a deputada ainda criticou as atitudes do partido e da tal forma de se fazer política, dizendo que “quando algum membro decide tomar uma decisão que considere responsável e fiel ao que acredita ser importante para o país, há perseguição política. Ofensas, ataques à honra e outras tentativas de ferir a imagem tomam lugar do diálogo. Exatamente o que vivo agora”

As informações foram extraídas do site Terra.

Bacharelando em administração pela UFPB.