STF decidirá hoje se vai acabar ou não com a Lava Jato

STF pode tirar casos de corrupção da responsabilidade da Lava Jato e os enviar para a Justiça Eleitoral.

Lava Jato
 13 de março de 2019 | 9h37
Por Pedro Tomasia

Nesta quarta-feira (13), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) começarão a julgar se os crimes investigados pela Lava Jato, corrupção e lavagem de dinheiro, devem ser julgados em conjunto com a Justiça Eleitoral.

Para o Ministério Público Federal (MPF), os tribunais eleitorais não possuem estrutura suficiente para julgar tais crimes complexos como corrupção e lavagem de dinheiro. Além de que consideram que no âmbito eleitoral se tende a aplicar penas mais brandas.

O Supremo ainda pode decidir por separar pautas de caixa 2 e de corrupção, deixando os casos da primeira para a Justiça Eleitoral, e da segunda para a Justiça Federal.

“Transferir totalmente para a Justiça Eleitoral casos de corrupção e lavagem de dinheiro que resultaram em caixa 2 é como entregar investigaçōes sobre tráfico internacional de drogas a guardas municipais ou perícias de quedas de Boeings a praticantes de aeromodelismo.”, diz O Antagonista.

O próprio MPF argumenta que entregar os casos para a Justiça Eleitoral torna-os de grande possibilidade de prescrição dos crimes, e, consequentemente, impunidade.

E nas redes sociais já se há pressão para que o STF não venha a acabar com a Lava Jato e contribuir para o império da impunidade e corrupção, a hashtag #STFnaoMateALavaJato já é um dos assuntos mais comentados do Twitter.

Informações do Renova Mídia.