Educação » Justiça
Sem aval da Justiça, Suzane von Richthofen reprova semestre na faculdade

Suzane havia sido aprovada para estudar Turismo em aulas presenciais.

20/02/2020 14h01

Suzane von Richthofen, como foi informado antes, havia sido aprovada pelo Sisu para cursar Turismo no Instituto Federal de São Paulo (IFSP), clique aqui, mas acabou perdendo o semestre por faltas. De acordo com o regulamento da instituição, são considerados desistentes os alunos que não efetuaram a matrícula ou que não frequentaram os dez primeiros dias de aulas, sem justificativa válida.

Condenada a 39 anos pela morte dos pais, ela foi aprovada para o curso de Turismo com a nota do Enem e fez a matrícula por meio de procuração judicial. Assim que a aprovação de Suzane foi divulgada, o IFSP informou que aguardava a decisão da Justiça sobre as condições dela. Suzane chegou a pedir permissão na Justiça, mas o processo não foi respondido.

De acordo o Instituto Federal, o artigo 53 da organização didática diz que “serão considerados desistentes os candidatos aprovados em processo seletivo que não efetuarem a matrícula no prazo, bem como os estudantes matriculados que não frequentarem os 10 (dez) primeiros dias úteis de atividades acadêmicas, sem apresentação de justificativa devidamente comprovada e atestada, a ser analisada pela Coordenadoria Sociopedagógica”.

O prazo de Suzane se encerrou na terça-feira (18). Sendo assim, ela foi considerada como desistente. Porém, a instituição afirmou que “caso ela seja liberada após os 10 dias úteis, uma justificativa deverá ser analisada, porém, até o momento, não tivemos informações da justiça sobre o caso”.

O semestre mal começou, e Suzane matou aulas na base de pauladas.

Fonte: G1

Estudante de Engenharia Civil, corintiano, cristão SUD, um nerd apaixonado por cozinha, humor e muito conhecimento. Membro do MBL Brasília e um preguiçoso redator do MBL NEWS