fbpx
Minas Gerais
Procurador que chamou R$ 24 mil de “miserê” pede licença do MP

Agora ele precisa de umas férias para se afastar da polêmica. Que dó.

11/09/2019 16h32

Após o procurador Leonardo Azeredo dos Santos chamar seu salário de 24 mil reais de “miserê, e o assunto repercutir nas redes sociais, o funcionário do Ministério Público apresentou um atestado médico e pediu afastamento do cargo. O motivo não foi revelado.

A informação foi confirmada pelo procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet, em entrevista concedida hoje (11) à Rádio CBN.

Segundo Tonet, as declarações do colega foram de cunho pessoal e não condizem com o pensamento do MP. “Elas são declarações isoladas, pessoais e não condizem com o pensamento, com a filosofia de trabalho de atuação da instituição e de seus membros. Nós sabemos que a maior parte da população é carente, pobre, hipossuficiente e é para essa população que o Ministério Público de Minas e o brasileiro tem trabalhando incansavelmente”, disse. De acordo com o procurador-geral, já existem representações contra Santos e todas serão levadas à Corregedoria Geral do Ministério Público.

Aparentemente o pobre coitado procurador, além de exigir do funcionalismo público um salário maior do que 24 mil mensais, também agora almeja umas férias subsidiadas para ele esfriar a cabeça de toda essa polêmica. Que dó.

MP
Entusiasta política e acadêmica de Engenharia Química (UFPR) nas horas vagas; liberal na economia e nos costumes. Diretamente da República de Curitiba.