fbpx
Minas Gerais
Procurador de Justiça que chamou salário de ‘miserê’ recebeu R$ 124 mil em dois meses

Para que o salário ‘miserável’ de Leonardo chegasse a casa das centenas de milhares em dois meses, foram incorporados aos contracheques “outras remunerações retroativas” e “indenizações”.

02/12/2019 15h10

O procurador de Justiça de Minas Gerais Leonardo Azeredo dos Santos, que – mesmo recebendo do estado um salário fixo de 24 mil reais ao mês – reclamou em agosto que sua remuneração era um “miserê”, recebeu cerca de R$ 124 mil somando salários nos meses de agosto e setembro deste ano.

Após gravação da reunião ser divulgada e a declaração ganhar repercussão, o Ministério Público de Minas Gerais informou que Leonardo estava de licença médica, contudo, não informou o motivo e nem por quanto tempo ficaria afastado.

Dessa forma, nesta segunda-feira (02/12), a redação do Portal G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do MP para averiguar se o procurador já havia retornado às suas atividades, quanto ele recebeu durante o afastamento e como estava o processo disciplinar; não obteve resposta.

De acordo com os valores divulgados pelo Portal da Transparência, para que o salário ‘miserável’ de Leonardo chegasse a casa das centenas de milhares em dois meses, foram incorporados aos contracheques “outras remunerações retroativas” e “indenizações”, chegando aos R$ 124 mil. A planilha não especifica os que são esses itens. 

Em agosto, durante uma reunião para discutir a proposta orçamentária do MPMG para 2020, em um áudio, o procurador diz que o salário dele é um “miserê”.

Continue lendo!

Entusiasta política e acadêmica de Engenharia Química (UFPR) nas horas vagas; liberal na economia e nos costumes. Diretamente da República de Curitiba.