Coronavírus
Polícia interdita galpão que produzia álcool em gel falsificado

Parece que a criminalidade burlou a quarentena.

26/03/2020 08h28

Nesta quarta-feira (25), o Setor de Inteligência da 53ª DP, em Mesquita, no Rio de Janeiro, recebeu denúncias relativas ao funcionamento de uma fábrica clandestina de álcool em gel, em um galpão na Baixada Fluminense. O local foi interditado após realização de perícia pela Polícia Civil, que abriu investigação para identificar os responsáveis por crime contra a saúde pública, cuja pena prevista é de 10 a 15 anos.

A produção de álcool em gel, um dos principais produtos de higiene utilizados no combate ao novo coronavírus, estava sendo feita em um ambiente que revelava evidente falta de higiene, sem qualquer das condições recomendadas. No local, o produto falsificado era feito sem qualquer licença da Vigilância Sanitária para produção, armazenagem e venda.

Agentes apreenderam farta quantidade de matéria-prima, além de frascos e rótulos. O comércio ilegal seria realizado em Mesquita e outras cidades da Baixada. Para serem recomendados ao uso, frascos de álcool em gel devem conter informações mínimas do fabricante sobre o produto, além do selo do Inmetro.

O produto vem sendo bastante procurado, por seu potencial de higienização, em face do combate ao COVID-19, que já matou 20 mil pessoas pelo mundo. Além de criminosa, a produção de álcool em gel falsificado ainda se aproveita da fragilidade emocional e estado de caos instaurados pela pandemia.

Fonte: Jornal O GLOBO.

Advogada. Apaixonada pelo direito ambiental. Viciada em política. Humilde - e levemente sarcástica - proprietária do Blog da Azedinha.