fbpx
Nordeste
Petrobras identifica óleo venezuelano em manchas no Nordeste

Suspeita é de um navio afundado, acidente durante a passagem do óleo de um navio para outro ou um despejo criminoso.

09/10/2019 08h58

Um relatório da Petrobras identificou que as manchas que atingiram o litoral do nordeste são uma mistura de óleos venezuelanos. Na terça-feira (8), subiu para 138 o número de áreas do litoral nordestino com resíduos.

O óleo denso e pegajoso atingiu ontem o litoral da Bahia, nas praias do Forte e Baixio, e Porto de Sauipe. Em Alagoas, o óleo atinge 15 praias. Em Coruripe e Piaçabuçu devido à grave situação os pescadores nem ao mar estão indo.

O óleo também ameaça a vida marinha. No Rio Grande do Norte, mais uma tartaruga foi encontrada coberta de óleo e acabou morrendo no final da tarde. Equipes do governo já recolheram 133 toneladas de óleo desde setembro no Nordeste.

“Eu não posso acusar um país, vai que não é aquele país. Não quero criar problemas com outros países. É reservado. É um volume que não tem sido constante, né? Se fosse um navio que tivesse afundado, estaria saindo ainda óleo. Parece que, não é mais fácil, que parece que criminosamente algo foi despejado lá”, disse ontem o presidente Jair Bolsonaro.

Informações do G1.

Estudante de ciências econômicas na Universidade de São Paulo e membro do movimento Neoiluminismo. Liberal convicto admirador da filosofia prática kantiana, economia ortodoxa, Hayek e história econômica institucional.