fbpx
Justiça
Neymar não é o primeiro a sofrer falsa acusação de estupro. Relembre outros casos

Veja outros casos de falsa acusação de estupro envolvendo políticos e famosos

02/06/2019 15h25

O caso do atacante da Seleção brasileira, Neymar Junior, levantou o debate em relação as acusações falsas de estupro que, em hora em hora, acabam surgindo contra pessoas comuns e até contra famosos e políticos. Usados muitas vezes como arma de calúnia e difamação, a perigosa prática podem trazer sérias consequências na vida de quem sofre a acusação falsa. Relembre outros casos de falsa acusação de estupro famosos envolvendo políticos e até ativistas do MBL.

Caso Feliciano

O deputado e pastor Marco Feliciano se viu em meio a uma polêmica ao ser acusado de estupro e assédio sexual por Patrícia Lelis, em agosto de 2016. Lelis o acusou de ter a levado para o seu apartamento e tentado tirar a roupa dela e que a teria agredido.

Logo depois, foram divulgados conversas por Whatsapp entre Lelis e Feliciano no qual revelava tendências obsessivas da jovem em relação deputado que, nas conversas, se mostrava constrangido com envio de mensagens e fotos por parte de LelisCom o andamento das investigações, foi concluído que Feliciano não se encontrou com Patrícia Lelis em seu apartamento no dia e hora informados pela jovem.

Além disso, um laudo médico informou que Lelis é “mitomaníaca“, ou seja, tem transtorno de personalidade que faz com que minta compulsivamente. Lelis responde na Justiça agora por falsa acusação

Caso Arthur Mamãefale

O youtuber e ativista, Arthur do Val, do canal Mamãefalei foi acusado de ter estuprado uma garota, durante uma invasão de estudantes na Escola Estadual Paraná, em Curitiba.

Arthur foi fazer o que sempre faz em todos os seus vídeos onde vai em manifestações da esquerda, questionar as pessoas. Durante o vídeo, Arthur do Val foi agredido por pessoas que estavam na invasão da escola e depois, foi acusado injustamente de ter estuprado uma garota.

Todos os acontecimentos do dia foram gravados pela câmera do Arthur e serviram como base para as investigações da polícia. Confira:

A garota que o acusou foi compelida por professores e colegas a fazer a acusação, porém, por ter que fazer exame de corpo de delito, o que evidenciaria a falsa acusação, decidiu retirar a acusação de estupro e alegou que foi assediada por Arthur.

Com as imagens que foram captadas pela câmera do Arthur, a polícia concluiu depois que não houve estupro ou assédio por parte dele e a garota foi processada por denunciação caluniosa.

Ex-paquita simula agressão para caluniar marido

Outro caso que repercutiu na internet foi a de a ex-paquita,
Ana Paula Almeida, acusou seu marido, José Roberto Barbosa, por agressão no dia 16 de abril. Na época, a ex-paquita chegou a utilizar as redes sociais para falar sobre o caso. Nas imagens, ela aparecia chorando e com os braços machucados.

“Oi, amores, hoje vim aqui falar uma coisa que não é muito legal. Mas eu quero levantar a bandeira da mulher. Porque, às vezes, a gente com filho, sonho, por a pessoa estar no psiquiatra, porque essa foi a minha exigência… Ia mudar, ia fazer diferente, mas infelizmente não vivo aquele sonho de fadas. Agressões verbais eram desde que a gente começou, mas eu quis tornar isso público porque eu preciso que vocês parem de se acuar”, disse Ana.

Porém, em um programa do SBT, foi exibido imagens do circuito interno de segurança de um condomínio onde a ex-paquita aparece se automutilando com um objeto cortante. Após ser questionada sobre as imagens, a ex-paquita admitiu que não foi agredida e que realmente se cortou sozinha. “Eu comecei a me machucar no meu braço porque estava com raiva do que ele estava fazendo. Ele me disse que nada ia mudar. Ele ia continuar me agredindo e tomaria o meu filho de mim. Eu estava com muito ódio. Mas eu errei, eu admito meu erro.”

O marido de Ana, inclusive, disse posteriormente que usará as imagens em sua defesa contra a ex-paquita.