Destaque » Política
Guerra entre França e Brasil é iminente, dizem militares

O texto define uma provável guerra entre o Brasil e a França pela Amazônia

07/02/2020 11h54

A elite militar brasileira está alertada com a renovada “defesa da internacionalização da Amazônia” da França, considerando o país como principal fonte de ameaça estratégica para o Brasil nos próximos 20 anos.

O assunto foi tratado durante a minuta sigilosa “Cenários de Defesa 2040”, que embasa a revisão da Estratégia Nacional de Defesa.

O texto traz previsões, como instalação de bases americanas no Brasil, guerras e ataque com coronavírus no Rock em Rio de 2039.

A França é considerada uma ameaça constante em todas as hipóteses previstas pelos militares, devido ao embate entre Bolsonaro e o presidente francês, Emanuel Macron, quando o francês sugeriu a internacionalização da Amazônia.

A floresta é a principal preocupação dos militares. Segundo um dos cenários previstos, em 2035 Paris irá formalizar seu pedido de intervenção das Nações Unidas na Região Ianomâmi, anunciando o seu irrestrito apoio ao movimento de emancipação do povo indígena. Em 2037, a França iria mobilizar um grande efetivo de forças armadas, posicionando-os na Guiana Francesa.

No entanto, o texto ignora que a França é o principal parceiro militar do Brasil, com quem tem um amplo acordo para produção de helicópteros e submarinos.

A ditadura da Venezuela, segundo a simulação, aproveitará os mísseis balísticos recebidos da Rússia e China, invadindo a República da Guiana. A briga poderá chegar até Roraima, o que culminaria com a entrada do Brasil no conflito: a força militar brasileira utilizaria um escudo antimíssil, sistema desenvolvido com apoio israelense e material norte-americano, para se defender.

Um eventual conflito entre o Brasil e a Bolívia pode ocorrer no futuro, segundo o texto: uma intervenção militar brasileira em Santa Cruz de la Sierra acontecerá após a Bolívia expulsar fazendeiros brasileiros.

O documento afirma que a crise da Argentina será superada, mas o país poderá ser uma ameaça ao instalar uma base militar chinesa em seu território em 2034.

Um registro mais realista coloca os crimes transnacionais ligados ao tráfico de drogas como uma preocupação, bem como a militarização do Atlântico Sul.

No cenário político, o voto impresso e o voto distrital são vistos como decisivos para melhorar a política.

Segundo a previsão, dois ministros do Supremo Tribunal Federal serão presos por corrupção. O Ministério da Segurança Pública será recriado após uma crise em 2031.

Advogado criminal, liberal clássico, pró-vida, pró-armas e pró-liberdade de expressão. "Não existe almoço grátis".