Justiça Eleitoral
Dono da Havan é condenado a pagar multa por “coagir” funcionários a votarem em Bolsonaro

Luciano Hang é um ferrenho defensor de Bolsonaro.

18/09/2019 17h37

Nesta quarta-feira (18/09), o empresário Luciano Hang – dono das Lojas Havan e notório apoiador do presidente Jair Bolsonaro – foi condenado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a pagar uma multa de 2 mil reais por, no entendimento da Justiça, ter “coagido” seus funcionários a votarem no atual governante.

A sentença resulta de um processo aberto, no ano anterior, pela Coligação Para Unir o Brasil. A mesma ação também tinha como réu o próprio presidente Bolsonaro, que foi inocentado pelo ministro que julgou o caso. Segundo o despacho, o advogado de Hang desistiu de entrar com recurso para contestar a decisão e ele vai pagar a multa.

Quando ocorreram as denúncias, a Justiça do Trabalho de Santa Catarina chegou a aceitar um pedido de tutela antecipada do Ministério Público do Trabalho (MPT) proibindo que Hang adotasse medidas que pudessem “influenciar o voto” dos funcionários da Havan.

Entusiasta política e acadêmica de Engenharia Química (UFPR) nas horas vagas; liberal na economia e nos costumes. Diretamente da República de Curitiba.