Câmara dos Deputados
Deputado denuncia acordo do líder do centrão para controlar os R$ 30 bilhões

Centrão articula derrubada de veto presidencial.

02/03/2020 17h08

O novo líder do Podemos na Câmara dos Deputados, Léo Moraes, associou o recém-criado “megablocão” comandado por Arthur Lira – uma das principais figuras do Centrão e cotado para suceder Rodrigo Maia no comando da Câmara – à ânsia do Congresso Nacional em garantir o controle de R$ 30,1 bilhões em emendas neste ano.

Em live publicada em suas redes sociais hoje, Léo afirmou que “manobras” estão em andamento no Congresso para assegurar que o Parlamento derrube o veto 52 de Bolsonaro.

“Não à toa criaram um megablocão, com vários partidos políticos. Para terem a maioria dos assentos na CMO, na Comissão Mista do Orçamento.”

Ele continuou:

“Vamos entregar 30 bilhões para um relator e [para] a maioria dos partidos do Centrão indicarem onde deve ser gasto esse dinheiro, em ano eleitoral? Me parece [sic] que é um comportamento antirrepublicano.”

Moraes se referia ao bloco criado por Arthur Lira no início deste ano legislativo, com 351 deputados de 14 partidos diferentes: PSL, PL, PP, MDB, PSDB, Republicanos, DEM, Solidariedade, PTB, PROS, PSC, Avante, Patriota e o PSD, partido do relator do orçamento de 2020, deputado Domingos Neto.

Em uma articulação silenciosa, Lira conseguiu agrupar boa parte dos colegas em torno de um bloco que representa 68% da Câmara. Até aqui, essa foi a principal investida do deputado do PP de Alagoas na busca de se impor como favorito à sucessão de Rodrigo Maia.

A votação dos vetos à lei orçamentária está marcada para amanhã, mas, se não houver acordo, pode haver novo adiamento.

As informações são de O Antagonista.

Continue lendo!

Uma jovem que migrou da Engenharia Química para a Política e o Jornalismo. Encontra sua vertente ideológica no Liberalismo, mas entende que é preciso buscar o tangível para solucionar os problemas da sociedade.