fbpx
Polícia Federal » PT » STF
Defesa de Lula pede sua liberdade, baseando-se em operação contra hackers

A defesa quer utilizar de argumento mensagens obtidas de maneira criminosa por invasores de celulares

13/08/2019 14h29

A defesa do ex-presidente petista e atual presidiário Luiz Inácio Lula da Silva apresentou hoje(13) um novo habeas corpus em favor do hoje detido ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde os advogados do “ex soberano” condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro solicitam que as mensagens do aplicativo Telegram, apreendidas com invasores de celulares de juiz, procuradores e outras “autoridades” durante a operação Spoofing, da Polícia Federal, sejam utilizadas como prova no caso do seu “cliente”. A defesa quer utilizar de argumento para a libertação do prisioneiro mensagens obtidas de maneira criminosa por invasores de celulares

Os arquivos encontravam-se no computador do hacker Walter Delgatti Neto, preso em uma cidade no interior de São Paulo. A defesa do ex presidente afirma que as mensagens mostram que “as investigações contra o ex-presidente Lula foram iniciadas a partir de um comando emitido pelo ex-juiz Sergio Moro ao procurador da República Deltan Dallagnol sobre supostas propriedades destinadas aos filhos de Lula”, e que “os procuradores da República sabiam que não havia qualquer prova efetiva contra Lula no caso do tríplex, tampouco vínculo com a Petrobras, mas a despeito disso, ofereceram denúncia e pediram a condenação do ex-presidente”.

O recurso será analisado pela Segunda Turma do STF, contudo, não existe data marcada para o julgamento do pedido da defesa. No geral, ações onde o réu encontra-se detido possui prioridade na agenda de votações do supremo.

Bacharelando em administração pela UFPB.