fbpx
Destaque
Ciro sobre Tábata: “Por que ela não vai pro MBL?”

“Nós não queremos representar os neoliberais”, disse o coronel

15/07/2019 21h25

Ciro Gomes não está feliz com a deputada federal Tábata Amaral, que faz parte da legenda do coronel: o PDT. O problema? Ela mostrou ter responsabilidade e votou a favor da reforma da previdência, indo contra a orientação do partido.

Sobre isso, Ciro Gomes disse o seguinte para o Estado de S. Paulo e para a Rádio Eldorado: “ninguém pode servir a 2 senhores (…) por que ela não vai pro MBL?”.

“Eu acho que o mais digno – não quero particularizar nela [Tabata], porque foram ela e mais sete – é fazer o que eu fiz. Me filiei e ajudei a fundar o PSDB, que tinha um programa lindo, que tinha uma série de propostas muito sérias, foi para o governo e fez o oposto. Chafurdou na corrupção, nas privatizações, na roubalheira. O que fiz? Saí”, disse Ciro.

“Ela só tem 25 anos. E ela entrou no Brasil nesse negócio que é dupla militância. Ela pertence a alguns movimentos que são financiados pelos miliardários brasileiros e que colocaram a faca no pescoço de todo mundo

(…)

Não quero aqui retaliar a Tabata. Mas daqui a pouco essa gente vai propor por exemplo a entrega da Petrobras. Qual é a posição dela? Daqui a pouco essa gente vai propor a autonomia do Banco Central, para entregar de vez a economia brasileira aos quatro bancos privados que monopolizam 85% das transações financeiras. Como ela vai votar? Pela linha do partido ou pela dupla militância que ela está demonstrando

(…)

Nós não queremos representar os neoliberais. Tem aí o MBL. Por que ela não vai para o MBL?”

Antes da votação, o PDT, que havia fechado questão de ordem contra a reforma, ameaçou expulsar do partido aqueles parlamentares que votassem a favor do texto base da reforma. No entanto, até o momento ninguém foi expulso.

E agora, coronel Ciro Gomes?

Professor de filosofia e diretor de jornalismo do MBL. Entusiasta da filosofia, [geo]política, economia e literatura.