Esquerda
Ciro Gomes volta a atacar presidiário Lula; confira

Chegou a chamar o presidiário de defunto.

15/05/2019 10h56

Ciro Gomes (Adriano Machado/Reuters)

O ex-governador do Ceará e candidato derrotado nas últimas eleições presidenciais, Ciro Gomes, voltou a atacar o ex-presidente Lula. O cearense chegou a chamar o presidiário de “defunto eleitoral”.

Ciro participou da reestreia do programa Provocações, da TV Cultura, agora apresentado por Marcelo Tas na terça-feira, 14. Ele disse ter ficado ‘deprimido’ com a entrevista do petista por causa da falta de autocrítico.

“Eu conheço o Lula. Ele é um encantador de serpentes, um enganador profissional. Não tem um companheiro com quem ele não tenha sido desleal ao longo da vida inteira, ele cultiva isso”, disse o ex-governador.

Ele também disse que se Lula realmente se acha um preso político, então o que ele deveria ter feito é pedido asilo político em alguma embaixada. “A petezada amalucada não percebe a incongruência. Se eu sou acusado falsamente e ameaçado de prisão arbitrária e política, eu iria a uma embaixada pedir asilo e denunciar. Se Lula se acha um preso político, é a única saída. Sugeri isso.”

“No PT todo mundo sabe que do ponto de vista eleitoral o Lula é carta fora do baralho. Como manejar este defunto eleitoral é muito delicado para todos eles. Ele fez uma lei que determina que num país com quatro graus de jurisdição, no 2º grau de condenação, você perde os direitos políticos. Ele está inelegível até fazer 90 anos.”

Ciro Gomes ainda criticou a militância de Bolsonaro e disse que o governo da ex-presidente Dilma Rousseff foi um “desastre total”.

“Era só olhar para as pesquisas. Para o bolsominion, o Bolsonaro pode andar pelado na rua e isso vai ser relativizado. Assim virou o fanático do PT. Só que eu já engoli m* em nome deles demais. Mais muita. Dilma 1 e Dilma 2, por exemplo. Se ninguém sabia, eu sabia que ela não tinha experiência de nada. E o Michel Temer eu denunciei que ele rouba há mais de 30 anos. O governo dela foi um desastre transcendental e o PT apaga”, afirmou.

Informações do Exame.

Estudante de ciências econômicas na Universidade de São Paulo e membro do movimento Neoiluminismo. Liberal convicto admirador da filosofia prática kantiana, economia ortodoxa, Hayek e história econômica institucional.