Cinema
Bolsonaro assina decreto que obriga que cinemas tenham cotas para filmes nacionais

O texto foi publicado na última terça-feira (24) no Diário Oficial da União (DOU)

25/12/2019 18h05

Um decreto assinado pelo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, obriga os cinemas de todo o Brasil a terem uma cota de exibição de filmes nacionais. A regra passará a valer a partir do próximo ano, 2020, e divide opiniões por claramente atentar contra a liberdade de escolha dos estabelecimentos.

O texto, assinado pelo presidente brasileiro, foi publicado ontem (24) em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), e impõe uma quantidade mínima de dias e de diversidades de títulos que deverão ser atingidos no próximo ano. Para quem diz-se “liberal” como o presidente, a medida está longe de ser pró-mercado.

A empresa que tiver uma úncia tela de cinema será forçada a exibir, no mínimo, 27 dias de filmes em sua programação, exigindo-se um mínimo de três filmes diferentes. Para empresas que possuem entre 101 e 200 telas de cinema, serão necessários ao menos 54 dias de exibição de filmes nacionais, com, no mínimo, 24 títulos diferentes.

Bacharelando em administração pela UFPB.