Cinema
Bial: Democracia em Vertigem é insuportável, Petra fica chorando o filme inteiro

O apresentador também falou sobre feminismo no Brasil, afirmando que vivemos um “feminismo marxista”

03/02/2020 17h59

O jornalista Pedro Bial, em entrevista à Rádio Gaúcha nesta segunda (03), fez duras críticas ao documentário petista ‘Democracia em Vertigem’.

Bial criticou até mesmo o título do filme, que indica uma decadência da democracia no Brasil: “Quando a direita ganha, então a democracia está em risco. Isso é uma interpretação torta da realidade. A democracia existe para que a esquerda, direita e centro se revezem no poder”, afirmou o jornalista.

Para Pedro Bial, não apenas a classe artística tem essa atitude. Os movimentos identitários – como o movimento negro, o LGBT e o feminista – partilham dessa característica. Segundo Bial, o feminismo “virou em sua maioria no Brasil um feminismo marxista (…) É uma contradição em termos, não reconheço como feminismo”.

O jornalista não poupou críticas à oposição ao presidente Bolsonaro: “só falta chamar de chato, feio e bobo e mostrar a língua. As coisas são muito mais graves, sérias e importantes. Fica na base do ‘eu lacro, tenho razão’. O que interessa é a discussão”.

Bial também criticou o presidente: “Mas o que o Bolsonaro fala não é nem infantil, é retardado“.

O apresentador não deixou de ressaltar os aspectos do governo que, em sua visão, são positivos, como a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Paulo Guedes (Economia).

Ao ser questionado sobre sua opinião sobre o filme ‘Democracia em Vertigem’, Bial reagiu com gargalhadas.

“Eu dei muita risada. É um ‘non sequitur’ atrás do outro. Tira conclusão de algo que leva a outro sem a menor relação casual. O filme vai contando as coisas num pé com bunda danado. Uma narração miada, insuportável, ela [Petra] fica chorando o filme inteiro”, criticou.

“É um filme de uma menina dizendo para mamãe dela que fez tudo direitinho, que ela está ali cumprindo as ordens e a inspiração da mamãe, somos da esquerda, somos bons, não fizemos nada, não temos que fazer autocrítica. Foram os maus do mercado, essa gente feia, homens brancos que nos machucaram e nos tiraram do poder, porque o PT sempre foi maravilhoso e Lula é incrível”, acrescentou.

Para Bial, o documentário é uma ‘ficção alucinante’: “É mais que maniqueísmo, uma mentira”.

Felizmente, os problemas de Pedro Bial acabaram. O MBL produziu um documentário contando o verdadeiro lado da história, onde não há exaltação petista e nem voz chorosa. O filme “Não Vai Ter Golpe” foi lançado em 02 de setembro de 2019, e conta os bastidores da luta pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Veja o trailer abaixo:

Advogado criminal, liberal clássico, pró-vida, pró-armas e pró-liberdade de expressão. "Não existe almoço grátis".