fbpx
Lava Jato
Até preso Lula deu prejuízo aos cofres públicos

Despesas com a manutenção da cela de Lula na PF de Curitiba foram estimadas em R$ 5,7 milhões.

09/11/2019 09h00

Para quem acha que o ex-presidiário Lula representa um perigo para os cofres públicos agora que está solto, saiba que, mesmo enquanto esteve preso, Luiz Inácio Lula da Silva trouxe prejuízos ao erário público, cujo valor aproximado é de R$ 5,7 milhões.

Os valores foram estimados pela Polícia Federal, em abril, quando requereu à Juíza da 12ª Vara Federal de Curitiba, Carolina Lebbos, a transferência do líder petista para estabelecimento prisional em São Paulo.

No Ofício de requerimento, a PF estimou em cerca de R$ 300 mil mensais as despesas com a manutenção da cela que o ex-presidiário ocupava na Superintendência da PF em Curitiba. Tais valores decorriam de despesas com diárias de policiais, passagens e deslocamentos de pessoal de outras unidades para reforçar a segurança do local.

Calculando-se essas despesas de abril do ano passado até a soltura do ex-presidente petista, ontem (08), os gastos chegam a aproximadamente R$ 5,7 milhões.

A transferência requerida pela PF nunca chegou a se concretizar, pois o Supremo Tribunal Federal, ao analisar a Petição nº 8.312, decidiu que Lula deveria ser mantido na sede da Polícia Federal de Curitiba até o julgamento da Suspeição do ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que foi Juiz de primeiro grau no caso do Triplex.

Registra-se que essa prisão diferenciada – e cara – em relação aos demais presos pela Operação Lava Jato se deve ao cargo anteriormente ocupado por Lula, de presidente da República. A cela especial, também chamada Sala de Estado Maior, é um espaço concedido à determinadas autoridades, em razão do cargo que ocupam. Mesmo que o ex-presidiário não ocupasse mais o cargo de chefe de Estado, a condição foi assegurada.

Advogada. Apaixonada pelo direito ambiental. Viciada em política.