Pará » Racismo
Após declarações ‘racistas’ contra índios e negros, procurador do Pará é afastado

O procurador teria afirmado que a escravidão no Brasil ocorreu porque ‘o índio não gosta de trabalhar’

28/11/2019 22h38

Um procurador  do Ministério Público do Pará (MPPA) foi afastado do cargo. A razão disto foi que ele, Ricardo Albuquerque , está sendo investigado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por ter feito, segundo a justiça, declarações racistas . Ele teria dito que a escravidão no Brasil ocorreu porque ‘o índio não gosta de trabalhar’. O afastamento se deu nesta quinta-feira (28). 

A sessão, organizada pelo colégio de procuradores do MPPA, decidiu unanimamente que instaurariam um processo administrativo contra ele, que era ouvidor-geral do MPPA.

“O índio preferia morrer do que cavar mina, do que plantar para os portugueses. E foi por causa disso que eles [colonizadores portugueses] foram buscar pessoas nas tribos lá na África para vir substituir a mão de obra do índio aqui no Brasil”, teria dito ele recentemente.

Ele ainda afirmou crer que não acha que o Brasil possua “dívida nenhuma com quilombolas “. “Nenhum de nós aqui tem navio negreiro. Nenhum de nós trouxe um navio cheio de pessoas da África para serem escravizadas aqui no Brasil”, teria afirmado.

As falas do procurador foram repudiadas pelo MPPA, que disse que o teor das declarações “reflete tão somente a opinião pessoal” de Albuquerque.

Bacharelando em administração pela UFPB.