Goiás » Justiça
12ª denúncia contra João de Deus por crimes sexuais envolve dois guias espirituais

Nova denúncia contra João de Deus é marcada pela investigação de uma possível rede de proteção de crimes sexuais, diz promotora.

14/01/2020 09h11

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) apresentou à imprensa na tarde desta segunda-feira (13), a 12ª denúncia contra o médium João Teixeira de Faria, mais conhecido como ‘João de Deus’. Segundo a promotora de Justiça, Renata Caroliny Ribeiro e Silva, se inicia a investigação de uma possível rede de proteção a favor do médium.

João de Deus no Fórum Central de Aparecida de Goiânia, onde prestou depoimento na última segunda-feira (13). Foto: Wildes Barbosa/ O Popular

Isso porque dois guias espirituais do Rio grande do Sul também foram incluídos na denúncia de estupro de vulnerável contra duas vítimas também do Rio grande do Sul. À época do crime, entre janeiro de 2009 e janeiro de 2011, as vítimas tinham entre 20 a 28 anos. De acordo com a denúncia, Roberto Krabbe e Paulo Ricardo Huppes são suspeitos de acobertar os abusos que as vítimas chegaram a relatar a eles.

As vítimas reportavam abusos sofridos e os guias, ao invés de orientá-las, eram mais que coniventes e atuaram para que elas não interrompessem o ciclo”, detalha a promotora Renata Caroline e Silva.

Para os investigadores, os guias agiam de forma a convencer as vítimas de que os abusos faziam parte dos métodos de tratamento e mesmo sendo confidentes das vítimas e tendo consciência dos abusos, não agiram no intuito de pará-lo. Em razão da conivência, o MP aponta que os denunciados foram omitentes, os dois guias podem pegar até 20 anos de prisão.

A promotora ainda conta que “As respostas obtidas por esses guias são que tudo não passava de um processo de limpeza, de cura espiritual e na verdade podia ter uma entidade incorporada no médium que realizaria o processo de cura por meio de relação sexual. Eles também alegavam que  ejaculações seriam muito mais fortes que qualquer cirurgia espirituais que poderiam realizar. Eles também falavam que tudo era um processo de limpeza. E que homens também passavam por meio de processo de limpeza por meio de atos sexuais. Entretanto, era feito por um outro funcionário masculino da casa”, afirma.

330 mulheres

Durante a coletiva de imprensa o MP atualizou o número de vítimas registradas pela força tarefa. Até o momento são 330 denúncias apresentadas. O médium já foi condenado em processo que envolve quatro vítimas, além de já ter sido registrada condenação por porte ilegal de arma de fogo.

Química Industrial, Tatuadora, Desenhista, Cristã Reformada e aspirante a Teóloga.