Suposta rachadinha de Bolsonaro em apuração
O presidente pode estar envolvido em movimentações suspeitas em sua época como deputado

O Procurador Geral da República, Augusto Aras, estabeleceu uma “notícia fato”, a fim de averiguar divergentes movimentações salariais dos assessores de Jair Bolsonaro na época em que era deputado federal.

Segundo Aras, o processo é preliminar e a Procuradoria-Geral da República não tem permissão para abrir inquérito sobre este caso, visto que a Constituição afirma que o presidente da República, “na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções”.

O advogado Ricardo Bretanha Schmidt fez o pedido de abertura do inquérito para apurar o esquema de rachadinha, visto ter constatado indícios de intensa rotatividade salarial do gabinete.

Contém informações da/o O Antagonista.
continua em outra matéria