Polícia Civil diz que não houve atentado a tiros contra "covereadora" do PSOL
Ela alegou ter tido sua casa atingida por disparos em janeiro deste ano

A Polícia Civil de São Paulo informou que, de acordo com investigações, a "covereadora" Carolina Iara (PSOL) não sofreu atentado a tiros. Isso desmente a declaração de Iara, que alegou ter tido sua casa atingida por disparos em 26 de janeiro.

A polícia concluiu que dois homens teriam lançado fogos de artifício em frente a casa de Iara. Sendo assim, não há elementos que comprovem disparos de arma de fogo.

Ainda não se sabe se esse caso tem ligação com o relato da vereadora Erika Hilton (PSOL). Ela alegou ter sido perseguida por um homem dentro da Câmara Municipal. O sujeito já foi identificado.

Caroline Iara integra a chamada "Bancada Feminista" (mandato coletivo inventado pelo PSOL para disputar a eleição municipal de 2020). O grupo comentou que se confirmado a conclusão do inquérito, "respiram mais aliviadas".

Contém informações G1.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria