MP pede investigação contra morador racista por injúria racial
Entretanto, o pai do morador alega que seu filho possui esquizofrenia

Nesta sexta-feira (14), o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) pediu investigação contra o morador que humilhou com injúrias raciais um entregador em Valinhos, no interior de São Paulo.

Segundo a promotoria, o pedido acontece após o entregador de 19 anos, Matheus Pires Barbosa, "apresentar representação criminal alegando que, durante seu trabalho como motoboy, foi realizar uma entrega a Prado, sendo que este último 'passou a ofender sua dignidade e decoro através de ações, palavras e gestos com a emissão de conceitos negativos'".

O réu do caso é o técnico em contabilidade Matheus Abreu Almeida Prado de 31 anos. No vídeo que circulou nas redes sociais, Matheus diz que o entregador tem "inveja" das casas do local e, ao apontar para o próprio braço, declara: "você tem inveja disso daqui".

No dia, o entregador registrou um boletim de ocorrência. Com isso, o promotor do caso, Tatsuo Tsukamoto, pediu à Delegacia de Polícia Civil de Valinhos imagens das câmeras de segurança do local e de "pessoas que tenham efetuado a gravação amplamente divulgada pela mídia nacional, solicitando ainda a oitiva da vítima e o interrogatório de Prado".

Entenda o caso

Embora o episódio tenha acontecido no último dia 31 de julho, no interior paulista, o fato ganhou destaque apenas na última sexta (07) pelas redes sociais.

A plataforma de entregas iFood afirmou, através de suas redes sociais, que baniu o técnico em contabilidade da plataforma e ofereceu suporte jurídico e psicológico para o entregador de 19 anos.

De acordo com relatos de vizinhos, Mateus possui um vasto histórico de ofensas e ataques contra pedreiros e seguranças da região. E que, segundo um delegado de Polícia Civil, o morador possui esquizofrenia.

Por fim, devido à repercussão do vídeo, Matheus Pires ganhou duas motos novas, uma vaquinha que acumulou R$ 205 mil, recebeu uma vaga de emprego em uma das maiores agências de publicidade do país e uma bolsa de 100% para estudar.

continua em outra matéria