Mais três partidos podem abandonar o 'centrão bolsonarista'
A ruptura do bloco se deve à disputa à presidência da Câmara dos Deputados

Que o "caso de amor" entre Bolsonaro e o famigerado centrão não duraria era claro - e tudo indica que o affair chega ao fim com a ruptura do bloco partidário.

O motivo? A decisão de quem será o sucessor de Rodrigo Maia na presidência da Câmara dos Deputados.

Enquanto o atual líder do centrão, Arthur Lira (Progressista-AL) já vem fazendo campanha para abocanhar a vaga e mantém-se muito próximo de Bolsonaro, o chamado "centrão independente" (leia-se independente da presidência da República), formado pela trupe de Maia em associação com o MDB, prefere apostar no nome de Baleia Rossi para liderar a Câmara dos Deputados.

A empreitada do DEM e do MDB parece estar dando certo, pois já estão conseguindo cooptar mais três partidos: o Podemos, o Pros e o PTB. (Sim! O PTB de Roberto Jefferson, o mensaleiro, corrupto confesso e suposto "bolsonarista roxo", parece ter abandonado o barco presidencial.)

Cabe ressaltar que o "novo centrão" já seria capaz de medir forças com os que sobraram da conjuntura antiga, pois almeja um bloco formado por DEM, MDB, PSDB, Podemos, Cidadania, PV, Novo, parte do PSL, Pros e PTB.

continua em outra matéria