Macron é criticado pela ditadura chavista por homenagem a Maradona
Presidente da França homenageia o ex-jogador e faz criticas às suas visitas a ditadores

Jorge Arreaza, chanceler da ditadura chavista na Venezuela, nesta quinta-feira (25), criticou Emmanuel Macron, presidente da França, pela carta que ele escreveu homenageando o ex-futebolista e treinador argentino Diego Maradona que faleceu neste mesmo dia.

Emmanuel Macron -
Emmanuel Macron - Reprodução: Stoyan Nenov/Reuters

Macron escreveu que Maradona foi o maior jogador de futebol de todos os tempos, mas causou rechaço da ditadura quando falou sobre a relação do argentino com ditadores socialistas. Segundo a carta:

"Suas visitas a Fidel Castro e Hugo Chávez terão o sabor amargo da derrota; É no campo que Maradona fez a revolução".

Arreaza afirmou que, com a declaração, Macron e seus assessores desonraram os ideais e lutas de Maradona. Em sua conta no Twitter, ele escreveu:

"A única derrota é a de uma classe política que treme diante do uniforme amarelo dos trabalhadores".



Contém informações da/o Gazeta do Povo.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria