Kim e Rubinho entram com ação contra o Ministério da Defesa
Leitos das Forças Armadas estão vazios enquanto a população necessita ser socorrida

O deputado federal, Kim Kataguiri, e o vereador de São Paulo, Rubens Nunes, também advogado, entraram com uma ação contra o Ministério da Defesa devido ao número de leitos de UTI das Forças Armadas estarem vazios.

Rubinho Nunes e Kim Kataguiri
Rubinho Nunes e Kim Kataguiri (Imagem: Reprodução/Modificada)

Em meados do mês de março, foi constatado que as Forças Armadas mantinham sem ocupação os leitos de suas Unidades de Terapia Intensiva, enquanto os civis eram transferidos a outros estados em busca de leitos disponíveis.

As Forças Armadas foram cobradas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) a dar explicações sobre o fato e chegaram a alegar que os leitos vagos à espera de militares não se tratavam de um privilégio, além de afirmarem que o uso indevido dos leitos prejudicaria a segurança.

Após cobrança do TCU, planilhas com os dados de ocupação foram apresentadas. A informação é que as Forças Armadas bloquearam 85% das vagas, somando leitos em enfermarias e UTIs, reservadas à espera de militares.

A alegação mostra-se uma conduta claramente desumana, enquanto o Brasil está em colapso no sistema de Saúde. Sobretudo, a Instituição, que deve garantir a defesa e a ordem, pensa de modo egoístico, distanciando-se dos valores aprendidos e definidos pela Constituição.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria