Julgamento sobre afastamento de Chico Rodrigues é marcado para quarta-feira
O senador foi afastado através de uma liminar do ministro Barroso

Nesta sexta-feira (16), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, decidiu marcar o julgamento da liminar do ministro Luís Roberto Barroso que afastou o senador Chico Rodrigues da função por 90 dias.

O ministro afastou o parlamentar do cargo em liminar de ontem e hoje e pediu ao presidente da Corte que colocasse o caso na pauta do plenário do Supremo. Barroso disse, em despacho de hoje, que não tem necessidade de referendo da decisão pelos demais, porém, por causa da "importância institucional" do caso, achou melhor que a decisão fosse discutida no plenário do STF.

O afastamento do vice-líder do governo no Senado foi determinado por Barroso após a Polícia Federal informar que encontrou mais de R$ 40 mil em espécie na residência do senador - R$ 33 mil estavam na cueca do político.

Chico Rodrigues é acusado de participação em um esquema de desvio de dinheiro encaminhado pela União a Roraima para o enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19). De acordo com a Polícia Federal, o parlamentar teria atuado para direcionar contratos da Secretaria de Saúde com empresas de sua relação.

Segundo os dados da Controladoria-Geral da União, dos R$ 16 milhões em emendas parlamentares mandadas para o estado, R$ 2,56 milhões foram utilizados em contratos suspeitos.

“As condutas narradas são extremamente graves. O senador estaria se valendo de sua função parlamentar para desviar dinheiro destinado ao enfrentamento da maior pandemia em um século, quando o país se defronta com uma severa escassez de recursos públicos e já contabiliza mais de 150 mil mortos em decorrência da Covid-19”, disse Barroso em sua decisão de afastar o senador.

Contém informações da/o O Antagonista.
continua em outra matéria