Jair Bolsonaro aprendeu uma lição
O presidente ordenou que o GSI fizesse uma verdadeira devassa na vida de todos candidatos ao MEC

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aprendeu nos últimos cinco dias que é necessário checar todas a informações do currículo de um candidato a chefiar a pasta com maior orçamento da União.

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Reprodução/Internet)

Bolsonaro ordenou que o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) fizesse uma verdadeira devassa na vida pública de todos os candidatos a ocupar o cargo de ministro da Educação.

O mais preocupante é que esse ritual não acontecia antes de vir a público talvez o maior caso de fraude em currículos que já se viu. Carlos Alberto Decotelli foi desmentido sobre o doutorado na Argentina, o pós-doutorado na Alemanha e ainda existe suspeita de plágio em seu mestrado.

A FGV (Fundação Getúlio Vargas) negou que Decotelli tenha sido professor na instituição. Também há fortes indícios de que o quase ministro da Educação também tenha exagerado sobre sua carreira militar no corrículo.

Esse episódio demonstra aquilo que já estava escancarado com as nomeações de Ricardo Velez e Abraham Weintraub: Bolsonaro não um pingo de consideração pela pasta da Educação, a mais importante do país.

Embora tenha aprendido uma lição sobre a checagem de candidatos a cargos no governo, o presidente não sinaliza que deixou de ter total descaso com a educação.

continua em outra matéria