Homem é espancado até a morte em supermercado da rede Carrefour
Um segurança e um PM temporário estão envolvidos na abordagem violenta e estão detidos

Na noite desta quinta-feira (19), João Alberto Silveira Freitas, homem negro e cliente da rede de supermercados Carrefour, foi espancado até a morte por Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva - um segurança e um policial militar temporário - dentro de um dos estabelecimentos, na zona norte de Porto Alegre-RS. O caso ganhou repercussão internacional. Os dois homens foram presos em flagrante por homicídio qualificado.

A tragédia ocorreu depois que Magno e Giovane foram chamados por uma funcionária do supermercado, a qual teria sido ameaçada por João Alberto. A versão da Brigada Militar e de testemunhas são conflitantes quanto à sequência dos fatos, pois a corporação afirma que o cliente começou a brigar com os outros dois, resistindo a deixar o local, e os presentes dizem que o espancamento ocorreu já na saída do recinto.

Ajude a manter o MBL na luta!

De acordo com o delegado plantonista da Delegacia de Homicídios, Leandro Bodoia, a funcionária do Carrefour, que atua como fiscal de caixa, afirma que João teria feito um gesto que ela interpretou como uma tentativa de agressão, o que a levou a chamar a segurança por se sentir ameaçada. Segundo a esposa do homem espancado até a morte, eles eram clientes habituais do Carrefour e o gesto feito por seu marido era apenas "brincadeira".

A polícia também investiga a atuação do PM temporário, para apurar se ele trabalhava como segurança no local ou se era um cliente que decidiu intervir na discussão. Em nota, a BM informa que ele "não estava em serviço policial, uma vez que suas atribuições são restritas, conforme a legislação, à execução de serviços internos, atividades administrativas e videomonitoramento".

Também por nota, o Carrefour repudiou o ato e disse que rompeu o contrato com a empresa de segurança terceirizada que responde pela equipe de segurança, bem como tomou providências para apurar o ocorrido e punir legalmente os responsáveis. O crime repercutiu nas redes sociais e internacionalmente. No twitter, palavras como Carrefour, João Alberto e George Floyd lideram os trendings nacionais e mundiais.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria