Hipocrisia: Lula acusa Dallagnol de usar doença da filha para fugir
"Fujão", disse o ex-presidiário petista com experiência em usar caixão como palanque

Na manhã desta sexta-feira (04), em entrevista para a Revista Fórum, o ex-presidiário favorito da esquerda, Luiz Inácio Lula da Silva, acusou o agora ex-coordenador da Lava Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol, de se esconder atrás da doença da filha. Isso mesmo, o líder petista famoso pelo uso imoral de caixões como palanque para discursos políticos fez ilações sobre os motivos que levaram o procurador da República a deixar a força-tarefa.

Me perdoe, mas eu acho que o Dallagnol, se esconde atrás de uma doença, da filha dele, para poder justificar a saída. Se ela estiver doente, que deus ajude porque eu tenho pela filha dele o respeito que ele não teve pelo meu neto, quando morreu com seis anos de idade, quero que ele saiba disso. Mas ele não merece respeito da minha parte. Não tem dignidade, não tem caráter. É fujão”, disse Lula, novamente deixando transparecer toda a sua psicopatia ao não demonstrar qualquer indício de empatia por uma criança doente.

Aliás, o líder petista chega ao ponto de fazer ilações sobre a veracidade da doença da menina, de apenas 01 ano. Assim como já fez sobre o atentado sofrido pelo presidente da República durante a campanha de 2018. Quem é Lula para falar em dignidade ou caráter, quando utilizou e permitiu que seus seguidores utilizassem os caixões de sua esposa, Marisa Letícia, e de seu irmão, Genival da Silva (Vavá), como palanques para discursos políticos?

Que tipo de ser humano é esse que só demonstra compaixão com aqueles que manifestam a mesma ideologia que ele? Que comemora o "advento" da pandemia porque atrapalha o avanço da agenda liberal, que questiona a dor e o sofrimento daqueles que não compactuam com suas ideias e crimes? Como diferenciar Lula e Bolsonaro, quando ambos se esforçam continuamente para demonstrarem seu total desapreço para com o povo e a vida humana?

continua em outra matéria