Hacker português é suspeito de ataque no site do TSE
O invasor teria divulgado dados do site em uma conta no Twitter

No domingo (15), no primeiro turno das eleições municipais, ataques cibernéticos atingiram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e teriam sido praticados por um hacker português que cumpria prisão domiciliar.

De acordo com o Estadão, uma das linhas de investigação indica possível envolvimento de extremistas ligados a núcleos bolsonaristas.

O jornal teria conversado por e-mail com um invasor de Portugal, conhecido como Zambrius, de 19 anos, e ele teria contado que agiu sozinho por meio de um celular. Além disso, disse ter escolhido o momento das eleições municipais, pois o TSE havia declarado ter reforçado o sistema de segurança. Zambrius afirmou ter agido por "diversão" e, se fizesse antes, não haveria a "piada".

Investigadores do Ministério Público Federal e técnicos do TSE estão analisando os indícios de vínculo de Zambrius com extremistas brasileiros.

Dois pontos levantam as suspeitas:

  • o histórico de atuação do hacker, líder do grupo denominado CyberTeam;
  • e o modus operandi na Internet de radicais, no Brasil, especialistas em tecnologia da informação.

Segundo informado na investigação, Zambrius seria o hacker que divulgou dados do site do TSE em uma conta no Twitter, a qual já foi suspensa. Os dados roubados do TSE não teriam relação com o processo eleitoral.

Contém informações da/o Metrópoles.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria