Grupos da Lava Jato reagem à tentativa de interferência de Aras
Tentativa de auxiliares de Aras de obter dados sigilosos da Operação indignou membros por todo País

Após a tentativa da Procuradoria-geral de República de obter informações sigilosas sobre a Lava Jato em Curitiba, os integrantes da força-tarefa em todo o País reagiram. Nesta segunda-feira (29), as unidades da Lava Jato que atuam no Rio de Janeiro e em São Paulo já informaram que não pretendem fornecer dados de investigações sob sigilo.

Semana do Candidato

Na sexta-feira (26), foi enviado um Ofício à Corregedoria do Ministério Público Federal relatando a tentativa de interferência da auxiliar de Aras, subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, na unidade de Curitiba. Na sequência, inconformados com as frequentes tentativas do PGR Augusto Aras e seus auxiliares minarem a Operação, o grupo da força-tarefa que atuava junto à PGR apresentou pedido de demissão coletiva.

Semana do Candidato

Hoje, após pedido de Lindôra para obter dados sobre os inquéritos da Operação pendentes nos Estados, as unidades em SP e RJ enviaram Ofício informando que a remessa de investigações com sigilo depende de autorização judicial que permita o compartilhamento de provas, uma vez que elas envolvem quebra de sigilos dos alvos.

continua em outra matéria