Exército pode punir Pazuello por ida a ato com Bolsonaro
Sendo general da ativa, Pazuello pode ser punido pois não pediu autorização ao Comando do Exército para ir ao ato.

O Exército Brasileiro deverá pedir explicações ao ex-ministro da Saúde e general da ativa Eduardo Pazuello por sua participação em um ato pró-governo na manhã deste domingo (23) no Rio de Janeiro. Ele não pode manifestar-se publicamente, muito menos politicamente, sem autorização do órgão, segundo o Regulamento Disciplinar do Exército (Decreto 4346/2002):
"57. Manifestar-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária".

Sem máscara em Palanque, Pazuello discursa ao lado de Bolsonaro.

De acordo com fontes das Forças Armadas, Pazuello não pediu autorização ao Comando do Exército para ir ao ato. Militares ligados ao Alto Comando ouvidos pelo G1 consideram que o general Eduardo Pazuello foi desleal com o comandante do Exército, Paulo Sérgio, ao subir no palanque com o presidente Bolsonaro em manifestação política, pois colocou o comandante contra a parede. Se ele não punir Pazuello cometeria prevaricação.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria