Ex-assessor de Flávio Bolsonaro sacou R$ 260 mil em espécie
O ex-funcionário dele é um coronel da reserva do Exército

De acordo com informações do O Globo, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, o coronel do Exército Guilherme dos Santos Hudson, retirou de sua conta pessoal na boca do caixa o total de R$ 260 mil em espécie, isso em 16 oportunidades diferentes entre os anos de 2009 e 2016.

Os saques, acima de R$ 10 mil em cada ocasião, foram identificados pelo Banco com a observação "procedimento indica saque em espécie", obrigatória nas instituições financeiras em operações desse tipo.

As informações obtidas pelo jornal constam na quebra de sigilo bancário e fiscal de Hudson na apuração da suposta prática de "rachadinha" no antigo gabinete do ex-deputado estadual da Alerj, que hoje é senador.

Os dados mostram que o coronel fazia saques todos os meses, normalmente no mesmo valor, entre R$ 10 mil e R$ 12,1 mil. A maior operação aconteceu no dia 25 de março de 2009, quando o ex-assessor sacou R$ 50 mil em dinheiro vivo da sua conta corrente no Banco do Brasil e quase zerou o saldo existente.

Hudson cursou a Academia Militar das Agulhas Negras na mesma época que Jair Bolsonaro, 1973 a 1977, e sua esposa é tia de Ana Cristina Valle - nome da segunda mulher do presidente e mãe de Jair Renan.

O ex-assessor tem relações tanto na apuração sobre Flávio como no procedimento que investiga funcionários fantasmas e “rachadinha” no gabinete de Carlos Bolsonaro. 

Ajude a manter o MBL na luta!

É muito dinheiro e muita confusão, não é?

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria