Delegada responsável por apuração de atos antidemocráticos é transferida
A transferência causou tensão na cúpula da Polícia Federal

De acordo com relato de Fabio Serapião, da Crusoé, a saída da delegada Denisse Rosa Ribeiro do cargo que ocupava na Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal e sua transferência para a Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal geraram um estresse fora do comum na cúpula da corporação durante os últimos dias.

A delegada Ribeiro é responsável por dois inquéritos que são considerados bem sensíveis para o presidente Jair Messias Bolsonaro. Um dos inquéritos, que é presidido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, é o que apura a existência e o financiamento do chamado "gabinete do ódio" no Palácio do Planalto.

O outro inquérito tem o objetivo de descobrir quem financia os atos antidemocráticos que são organizados por militantes pró-bolsonaro que deram origem a crises entre o Poder Executivo e os outros Poderes.

No dia 4 de junho deste ano, a delegada Denisse Ribeiro tentou barrar ação do Supremo Tribunal Federal contra aliados de Bolsonaro alegando risto à instabilidade das intituições e pediu postergação de operação em inquérito a respeito de atos antidemocráticos. Tal requetimento de Ribeiro foi revelado pelo jornal O Globo e confirmado pela Folha de S. Paulo.

Contém informações da/o O Antagonista.
continua em outra matéria