Decotelli processa FGV por danos morais
O ex-ministro afirma que as declarações da instituição sobre seu currículo geraram o "afastamento do cargo de ministro da Educação"

Na última quinta-feira (13), Carlos Alberto Decotelli, ex-ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro, entrou com uma ação no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro contra a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Decotelli cobra danos materiais - em um total de R4 3,1 milhões - após a fundação informar que o economista não participou de seu corpo docente.

Na ação, a defesa anexou um documento em que provaria que o professor havia lecionado na instituição, além de um anúncio feito pela FGV de um webnar em que participaria o "professor Decotelli". O ex-ministro afirma que a declaração da FGV "gerou o afastamento do honroso cargo de ministro da Educação".

Entretanto, Decotelli não comandou o ministério, pois desde o primeiro dia em que foi escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro até sua demissão, 5 dias depois, ele recebeu uma série de questionamentos e contestações de universidades estrangeiras e da FGV sobre a veracidade de seu currículo acadêmico.

Ajude a manter o MBL na luta!
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria