Cyberpunk 2077 é tachado de transfóbico por militantes
Nem o jogo que promete ser inclusivo escapou do cancelamento das militâncias

Após o tão esperado lançamento do jogo Cyberpunk 2077, a militância canceladora apareceu para avaliar com seu ponto de vista politicamente correto. E eis que eles conseguiram achar algo para cancelar mesmo em um jogo que permite ser inclusivo, com várias opções para se montar seu personagem do jeito que você quiser, inclusive ser transexual.

Pôster Cyberpunk 2077
Pôster Cyberpunk 2077 (Divulgação)

A jornalista Stacey Henley, do site dedicado a games Polygon, começou a problematizar um dos pôsteres do jogo que continha um personagem que aparentava ser transexual. Para ela, essa inclusão não passava de apenas jogada de marketing da empresa criadora do game.

Segundo Henley:

"O pôster mixed up é uma exploração tão descarada de pessoas trans, evocando imagens e ideias muito trasfóbicas que vinculam indelévelmente as pessoas trans ao conteúdo de suas roupas íntimas, imagens que são responsáveis por danos reais a pessoas trans. No entanto há uma profunda ironia no fato de que oferece às pessoas trans uma das poucas oportunidade de nos vermos e jogarmos como nós mesmos."

Stacy também disse o que o perfil do Twitter do jogo trocava piadas com o empresário milionário Elon Musk e que por ele ser um macho-hétero-branco, isso de alguma forma vêm incomodando essa militância do esquerdismo-sem-noção.

E não é somente a jornalista que viu problema em Cyberpunk 2077. Várias outras pessoas que dizem lutar por causas feministas, LGBTs, etc, começaram a apontar problemas no jogo. Elas querem que o mundo se adapte às suas regras por mais bobas e inútes que sejam. E no Brasil, isso infelizmente se repete.

Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria