Chefe da Secom tentou comprar rádio bolsonarista
Mensagens no celular do empresário Otávio Fakhoury, apreendidas pela Polícia Federal, mostram a intenção de criar uma emissora governista

O empresário Otávio Fakhoury e Fábio Wajgarten, responsável pela secretaria de comunicação social (Secom) do governo Bolsonaro trocaram mensagens, que foram apreendidas pela Polícia Federal, que mostram a intenção de criar uma emissora de rádio governista.

Fakhoury é um dos alvos do inquérito que investiga a realização dos atos antidemocráticos que tramita no Supremo Tribunal Federal sob a relatoria do ministro Alexandre de Moraes. No dia 16 de junho, ele foi alvo de um mandado de busca e apreensão, a pedido da Procuradoria-Geral da República e seu celular foi apreendido.

Na conversa, Fakhoury afirma que é necessário criar uma rádio e diz que um grupo já teria interesse em “financiar a aquisição”, entre os citados por Fakhoury está o o chef e dono da rede de restaurantes Madero, Luiz Renato Durski Júnior.

A PF já tomou o depoimento de Durski e fez uma série de questionamentos a ele.

“Indagado sobre o diálogo por meio do aplicativo de mensagem Whatsapp identificado no telefone celular de Otávio Oscar Fakhoury, entre Otávio Oscar Fakhoury e Fábio Wajngarten, em que Oscar Fakhoury comenta sobre a necessidade de comprar uma rádio FM “target”, em que Oscar Fakhoury afirma já ter um grupo para financiar a aquisição da rádio e, dentre as pessoas mencionadas, Oscar Fakhoury cita o nome do declarante (Junior Duski)”, diz o depoimento de Durski, segundo o jornal O Globo.

Questionado se estaria entre os empresários dispostos a financiar a compra da rádio para “para promover e ampliar as pautas políticas de interesse de seu grupo político”, ele disse que não. Ainda de acordo com Durski, ninguém o procurou para falar desta compra e ele não apoia grupos políticos, apenas o presidente Jair Bolsonaro.

O pastor R R Soares também foi questionado, em outro depoimento, sobre a compra de uma rádio pelos bolsonaristas. Segundo o religioso, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) o procurou pedindo para encontrar uma rádio para alugar.

“Eduardo Bolsonaro disse que só tinha interesse na locação de uma rádio e não tinha esse valor para negociar a locação”, diz o depoimento do pastor.

Nenhum dos citados quiseram se manifestar.

Contém informações da/o O Globo.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria