Cerca de 3 milhões de arenas do maracanã já queimaram no pantanal
Enquanto isso, Bolsonaro reclama que recebe muitas críticas e Mourão procura quem punir por divulgar os dados do INPE

Cerca de 2.832.000 hectares do Pantanal já foram devastados, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa área representa 18,66% de todo o bioma pantanal e 1,78% do território nacional, e é maior de alguns Estados brasileiros. Para se ter uma ideia, essa área corresponde a uma devastação de 3 milhões de arenas do Maracanã.

Enquanto isso, o presidente da República, Jair Bolsonaro, reclama de "críticas desproporcionais" à sua falta de gestão, e tenta desviar o foco para outras Nações com problemas similares, e o vice-presidente e chefe do Conselho da Amazônia, general Hamilton Mourão, parece mais preocupado em encontrar um "opositor" infiltrado no INPE do que nos dados sobre os danos ambientais causados pelas queimadas no Pantanal e na região amazônica.

Ajude a manter o MBL na luta!

De acordo com os dados, foram registrados 15.477 pontos de incêndio até o dia 15 de setembro de 2020 - maior taxa já registrada na história do monitoramento da região. A Secretaria do Meio Ambiente de Mato Grosso informa que 1.732.000 hectares do Pantanal no estado já foram devastados. O último balanço de Mato Grosso do Sul, de 04 de setembro, fala em 1.110.000 de área atingida.

Ajude a manter o MBL na luta!

No Mato Grosso, o INPE já registrou 34.629 focos de incêndio em 2020, sendo 15.023 pontos até o dia 15 do de setembro - 107,7% a mais que no mesmo período do ano passado. Os cerca de 2.832.000 hectares devastados representam uma área menos que os Estados do Sergipe - 2.191.000 - e Alagoas - 2.776.800. Mas, para o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que compartilha vídeo de mico-leão-dourado como se retratasse a Amazônia, está tudo bem.

Contém informações da/o CNN Brasil.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria