Bolsonaro gastou mais de 7,7 milhões com cartões corporativos em 2020
As despesas foram 10% a mais do que o último ano de Dilma e 35% a mais do que Temer

O presidente Jair Bolsonaro, mesmo tendo trabalhado só até 18 de dezembro, voltou a gastar mais de R$ 900 mil com cartões corporativos no mês pelas suas 10 viagens - segundo a Gazeta do Povo - e fechou o ano com despesas de R$ 7,7 milhões – 10% a mais do que o último ano da presidente Dilma Rousseff e 35% a mais do que Michel Temer.

Bolsonaro inaugura transposicao do São Francisco
Bolsonaro inaugura transposicao do São Francisco Imagem: Divulgação

Cartões corporativos não apenas pagam despesas de viagens, apesar delas serem as maiores, eles também pagam despesas do Palácio da Alvorada e gastos pessoais do presidente e dos seus familiares.

Levando em conta apenas os últimos quatro meses, Bolsonaro gastou o dobro da média das despesas de Temer com cartões e 70% a mais do que Dilma. Até houve até uma redução nas despesas de abril a julho, mas como a sua popularidade caiu e ele saiu pelo país em eventos de caráter político-eleitoral – colocando em prática sua “velha política”. E desde então, sua popularidade e aprovação melhoraram.

Os valores totais de 2020 não incluiram as despesas com a viagem do avião presidencial a Wuhan, na China, onde brasileiros foram resgatados no início da pandemia. Esse deslocamento custou R$ 739 mil. Considerando esse gasto, os pagamentos com cartões corporativos do presidente em 2020 ficou em R$ 8,4 milhões. Os pagamentos de dezembro correspondem a compras feitas em novembro e com isso, somente no final de janeiro estará disponível a despesa de dezembro.

Lembrando que estavamos em um ano de pandemia com pessoas morrendo a todo instante e o presidente recentemente deu a declaração de que o país estaria quebrado e ele não conseguiria fazer NADA.

Contém informações da/o Gazeta do Povo.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria