Bolsonaro avalia demitir Decotelli
O clima é de constrangimento entre os militares e apoiadores da nomeação de Decotelli ao MEC

Nesta segunda-feira (29), foi anunciado a suspensão da posse de Carlos Alberto Decotteli como novo ministro da Educação e não há mais dia ou hora para acontecer, segundo o Palácio do Planalto. Com este cenário, uma eventual demissão estaria em "análise".

Auxiliares palacianos passaram a orientar o presidente para que reveja a nomeação de Decotelli para o cargo de ministro da Educação após surgirem indícios sobre as imprecisões em seu currículo acadêmico. Bolsonaro teria ficado incomodado com a repercussão negativa dos erros no currículo do nomeado e de acusações de plágio.

Devido a isto, a ala militar e apoiadores veem constrangimento na indicação de Carlos Alberto ao MEC e temem pela possibilidade de questionamentos judiciais recaírem sobre o governo Bolsonaro.

Na última sexta-feira (26), a Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, afirmou que Decotelli foi reprovado no doutorado, apesar da conclusão dos créditos. No sábado (27), foi revelado que o ministro da Educação teria plagiado seu artigo de mestrado. E hoje, a Universidade de Wuppertal, na Alemanha, negou que Carlos Alberto Decotelli tenha obtido pós-doutorado na instituição.

Contém informações da/o O Globo.
continua em outra matéria