"Boiada" de Salles ia muito além da pasta do Meio Ambiente
A declaração foi feita pelo próprio vice-presidente, Hamilton Mourão

A polêmica fala do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles na reunião ministerial "devastadora", que defendeu a utilização da crise gerada pela pandemia para "passar a boiada", ou seja, aprovar temas controversos sem a repercussão negativa da mídia.

Na reunião dos ministros com o presidente, Salles disse que a pandemia “está nos dando um pouco de alívio nos outros temas, é passar as reformas infralegais de desregulamentação, simplificação, todas as reformas (…)”.

O ministro foi mencionado pelo vice-presidente Hamilton Mourão durante reunião no Senado: para o general, Salles "sofre" por decisões que tomou no passado. Fica incerto se tais decisões erradas teriam ocorrido no governo Bolsonaro ou anteriormente.

Mourão destacou que "a fala de Salles na reunião ministerial sem pauta de 22 de abril, sobre 'ir passando a boiada', era sobre normas infralegais, e não se restringia à pasta do Meio Ambiente", informou O Antagonista.

Cabe salientar que o atual ministro é investigado pelo Ministério Público por suposto enriquecimento ilícito.

Mourão também afirmou durante a reunião que Salles conta com a confiança do presidente Jair Bolsonaro.

Será que se as investigações contra o ministro se intensificarem o presidente terá o mesmo empenho em proteger o membro do governo que demonstra com o filho Flávio, ou Salles será mais um largado na sarjeta por Bolsonaro?

continua em outra matéria