Aras indica procurador que quis arquivar investigação sobre Flávio para o CNJ
Sidney Madruga é o nome indicado para o conselho

Nesta segunda-feira (19), o procurador-geral da República, Augusto Aras, formalizou a indicação do procurador Sidney Madruga para a vaga reservada ao Ministério Público da União no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Em 2019, Sidney tentou arquivar uma investigação de falsidade ideológica eleitoral sobre o senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro.

A suspeita é de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica nas declarações de bens realizadas por Flávio nas campanhas eleitorais de 2014 e 2016.

O inquérito tinha começado em 2018, porém não teve quebra dos sigilos bancários e fiscal.

No mês de agosto deste ano, a câmara criminal do Ministério Público Federal (MPF) contrariou o procurador e decidiu prosseguir com as investigações.

Sidney ainda será sabatinado no Senado e precisará de pelo menos da aprovação de 41 senadores para ser nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro para a vaga.

Mais uma indicação problemática...

Contém informações da/o O Antagonista.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria