Aras decide ficar ao lado de Bolsonaro
Aparentemente não se pode mais fazer críticas ao presidente mesmo

Augusto Aras, o PGR petista escolhido por Bolsonaro para ocupar o cargo, disse ao STF que não vai investigar o presidente pelo o governo ter usado a Lei de Segurança Nacional contra seus críticos.

Jair Bolsonaro e Augusto Aras
Jair Bolsonaro e Augusto Aras (Foto: Jorge William / O Globo)

Em março, Ciro Gomes havia feito críticas ao governo e a Polícia Federal abriu, a pedido do então ministro da Justiça, André Mendonça, um inquérito para investigá-lo por isso.

Ao se manifestar na ação do PDT, Aras afirmou que não ficou demonstrado nenhum ato concreto de Bolsonaro na abertura do inquérito. Segundo ele, não é possível investigar o presidente por atos de seus subordinados.

“Não há como se pretender, unicamente em razão do vínculo precário de agente político, responsabilizar criminalmente o presidente da República por atos praticados por seus ministros de Estado.”

Recentemente, o psolista Guilherme Boulos também foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional pela PF.

A liberdade de expressão nesse país está indo cada vez mais por água abaixo no governo Bolsonaro.

Contém informações da/o O Antagonista.
Você está sendo roubado! O sistema usa o seu dinheiro, abusa de privilégios e cria leis para se blindar. O MBL vai na contramão desse sistema, lutando contra o Foro Privilegiado, Fundão e na defesa da prisão em segunda Instância e reformas. A batalha é desequilibrada, nós só podemos contar com você. Doe para o MBL clicando aqui.
continua em outra matéria