fbpx
Reprovação das Contas de Campanha
Prefeito de São Caetano José Auricchio Jr (PSDB) têm suas contas de campanha reprovadas pelo TRE-SP

TRE-SP acolhe recurso do MPE e reverte decisão de primeira instância que havia aprovado as contas de Auricchio Jr, denunciado pela PRE-SP por caixa 2 nas eleições de 2016

18/08/2019 11h59

SÃO CAETANO DO SUL – O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) acolheu parecer apresentado pela Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo (PRE-SP) e desaprovou as contas do prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr (PSDB), relativas às eleições municipais de 2016. As contas do prefeito haviam sido aprovadas pela primeira instância (269ª Zona Eleitoral), o que levou o Ministério Público Eleitoral (MPE) a recorrer da sentença. O procurador regional eleitoral de São Paulo Dr. Pedro Barbosa Pereira Neto, afirmou ser “o maior esquema de caixa 2 das eleições de 2016”.

No parecer, a PRE-SP afirma que as inconsistências verificadas são graves e comprometem a necessária transparência das contas. Uma das irregularidades constatadas, foi o recebimento de doações financeiras com indícios de ausência de capacidade econômica, no montante de R$ 380.000,00. A maior parte dessa quantia (293 mil reais), aparece como doação de campanha realizada por Ana Maria Comparini Silva, pessoa humilde e pensionista do INSS.
Segundo a legislação, seus rendimentos no ano anterior deveriam ter sido de R$ 3,5 milhões para fazer doação de tal monta. No entanto, o saldo de suas contas não ultrapassava os R$ 5 mil, segundo informações da revista Veja.

Crime de Caixa 2 – Ana Maria Comparini Silva, junto com Auricchio Jr e o vice de São Caetano do Sul Beto Vidoski, foram acusados pela PRE-SP em junho de 2018, pela prática dos crimes de formação de organização criminosa e caixa 2.

Em abril deste ano, o juiz da 166ª Zona Eleitoral de São Caetano do Sul, Pedro Corrêa Lião, determinou a cassação do prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Júnior (PSDB), em razão da suposta captação e gastos ilícitos de recursos em sua campanha de 2016.

DIGRESSÃO

Integrantes do MBL em frente à Câmara Municipal de São Caetano do Sul

Em julho de 2018, o MBL através de seus coordenadores Pedro Umbelino e Cauê Camata (SCS), Márcio Colombo (Regional) e o Coordenador Nacional e agora deputado federal Kim Kataguiri, protocolaram o pedido de impeachment do prefeito sob as mesmas alegações que foram acolhidas pelo TRE-SP. A época, o pedido foi arquivado pelos vereadores do município, quando 15 vereadores votaram a favor do arquivamento. Os parlamentares que votaram favoráveis ao pedido de cassação foram Ubiratan Figueiredo (PR), Cesar Oliva (PR), Jander Lira (PP) e Chico Bento (PP).

AMEAÇAS AOS INTEGRANTES DO MBL NO DIA DA VOTAÇÃO DO IMPEACHMENT

O dia da votação foi cercado por confusões e ameaças aos integrantes do MBL, sendo necessário o registro de um Boletim de Ocorrência dado a gravidade das ameaças. Durante a confusão, os integrantes foram chamados de vagabundos, ladrões e intimidados com frases “não vai sair daqui”, “vamos te pegar” e “cuidado lá fora hein!”

Os integrantes tiveram que ser escoltados pela Guarda Civil Municipal (GCM) para não sofrerem nenhuma agressão física, dado o tom violento daqueles que os ameaçara.

No mesmo Boletim de Ocorrência, o coordenador do movimento em São Caetano Pedro Umbelino, afirmou que durante a Festa Italiana daquele ano, o prefeito teria se aproximado dele e, com um tom irônico, o parabenizou pelas manifestações, referindo-se ao ato realizado pelo MBL uma semana antes da votação do impeachment.

As acusações cabem recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

DIGA NÃO À TURMA DO FUNDÃO

 O MBL conclama seus coordenadores, membros e seguidores para uma campanha CONTRA O AUMENTO DO FUNDO ELEITORAL EM 2 BILHÕES, TOTALIZANDO 3,7 BILHÕES. Tal medida, além de obscena, coloca a política em ainda mais descrédito com a população, e torna nosso ambiente democrático cada vez pior.
Quem trabalha e produz não merece ficar nas mãos da TURMA DO FUNDÃO. Contamos com todos nessa luta contra mais esse absurdo.


Ajude-nos em mais esta luta. Contribua: mbl.org.br/fundao

Estudante de Letras, são-paulino, fã de System of a Down, devoto de São Dostoiévski (o maior escritor-filósofo do mundo). Intrínseco a mim: Política, Jornalismo, Filosofia e Sociologia. Sou MBL com muito orgulho.